NOTÍCIAS


DIAS CULTURAIS

Os Dias Culturais da Academia de Música da Sociedade Filarmónica Vizelense nasceram por sugestão de alunos finalistas, que rapidamente se organizaram para um brainstorming rico em ideias que iam ao encontro de um evento que possibilitasse aos alunos terem experiências de criação artística. Esta visão tornou-se importante no sentido de preparar os alunos para a sua integração na sociedade de uma forma mais crítica, construtiva e criadora. O Call for Arts (concurso de projectos artísticos para os Dias Culturais) teve uma excelente recepção por parte de alunos e ex-alunos, onde pudemos perceber a vontade de criar, não apenas na música mas nas diferentes categorias artísitcas abertas ao concurso.
O projecto foi-se mostrando megalómano, pela quantidade de pessoas envolvidas bem como de materiais necessários à produção artística. Durante os dois dias do evento tivemos representada uma panóplia de géneros artísticos (música, cinema, literatura, desenho, fotografia, artesanato, teatro e dança) numa linguagem eclética que ia ao encontro dos desejos individuais dos participantes. A música, naturalmente, teve um papel central nestes Dias Culturais, em que todos os grupos de câmara, orquestras e coros participaram, tendo-se criado aqui um clímax do trabalho desenvolvido nas actividades curriculares. Esta concatenação entre o trabalho curricular e o trabalho extra-curricular que foi desenvolvido por parte dos alunos com a colaboração dos professores mostrou-se uma mais valia na comunicação transversal e democrática entre a comunidade escolar, pois tivemos ajuda de vários encarregados de educação, funcionários, direcções, e naturalmente professores e alunos, que foram o cerne deste trabalho desenvolvido.
Este foi o primeiro projecto da academia nestes moldes de apresentações artísticas criadas pelos alunos. Até hoje sempre tivemos projectos onde os professores escolhiam os temas, desenvolviam as temáticas, escreviam e compunham, ensaiavam, o que obviamente é importante para que os alunos sigam num caminho que a classe de professores considera importante para o seu desenvolvimento. Porém este projecto veio quebrar com este paternalismo tradicionalista, criando assim uma autonomia importante para o desenvolvimento pessoal dos alunos, bem como uma postura crítica e criativa em relação às artes. A recepção do público foi calorosa nos diversos géneros apresentados, e não apenas na música, a que já estamos habituados pelo bom trabalho desenvolvido pelos professores e alunos. Conseguimos aqui mostrar a capacidade de organização, cooperação e criatividade dos alunos, dos mais novos aos mais velhos, num evento que se mostrou pioneiro no que se tem feito por terras vizelenses.

Cláudio Moreira


DIAS CULTURAIS